Só pula a cerca quem está em cima do muro

0
541

Meu primeiro namorado era mentiroso. Conheci ele na faculdade quando ainda era bem adolescente. Eu sempre fui muito difícil, mas, ele nunca desistiu. Ficou um ano e meio me pedindo uma chance. Até que eu dei. Foi maravilhoso quando aconteceu e ele ousou fazer uma oração na minha frente agradecendo a Deus por aquele momento que ele esperou tanto. Começamos a conversar mais e passávamos um bom tempo juntos para se conhecer melhor. Eu, nunca havia tido uma experiência amorosa intensa antes. Ele, era rodado. Tinha recém terminado um relacionamento e dizia que estava carente. Tudo bem. Normal. Isso acontece e a vida segue.

Nosso relacionamento se desenrolou por dois anos e tínhamos um acordo simples. Nada de sair com outras pessoas. Difícil? Não quando se gosta de verdade de alguém. Nossa imaturidade, porém, gerava constante perturbação. Certa vez, no intervalo de uma aula, no momento em que todos nos reuníamos no pátio do campus, ele me pediu para não falar muito enquanto estávamos com seus amigos porque iria parecer que eu era mais inteligente que ele e para um casal isso não ficaria legal. Eu o encarei por alguns segundos e caí na risada. Sem explicações, fui até os amigos dele e disse rindo “Ele não quer que eu fale demais com vocês porque vai parecer que eu sou mais inteligente que ele.”. O que eu ouvi foi um coral de vozes masculinas dizendo “Mas você é!”. Pronto. Derrotei o machão. Eu fazia questão de mostrar que eu nunca seria submissa a um homem. Ele dizia que eu era uma pecadora e que eu não tinha um bom comportamento. Engraçado porque enquanto a gente transava ele nunca reclamava de nada.

Foi então que algo marcante aconteceu. Às cinco horas da manhã de um sábado eu resolvi abrir o Facebook e havia o comentário de uma moça numa foto dele. “lindo”. Mandei print e mensagem perguntando quem era. Intuição de mulher nunca falha. Sempre soube disso. Às seis ele visualizou e não respondeu. Às dez ele me disse. “Ela é a minha namorada.”. Eu não sabia o que fazer. Fiquei confusa e disse que conversaria apenas pessoalmente. Doeu bastante. Eu gostava dele, mas, caiu a ficha. Durante todo aquele tempo, eu sempre fui a amante.

Ele me fez várias propostas e eu disse não para todas elas, mas, volta e meia ele me roubava longos beijos. Então, para colocar os pingos nos i’s, sentei ao seu lado e propus que ele não me procurasse mais porque eu pensava na sua namorada e perguntei se ela sabia disso. Ele disse que não. Fiquei mais triste. Me coloquei no lugar dela e ele sentiu isso. Então, ele me disse “Eu não fui fiel, mas, você foi o melhor erro que aconteceu em toda a minha vida e não me arrependo.”.

Eu era uma mulher inteligente que estudava bastante, tinha boas notas e um homem estava tentando me reduzir a um erro. Por que? Por que ele desejava algo de mim. E não era um relacionamento sério. Nem sexo. Era poder.

Quando uma traição é descoberta a primeira coisa que desejam encontrar é um culpado. A maioria são as mulheres e digo porquê. Ouço falar que os homens são os que mais traem e há uma explicação. Eles são ensinados. Assim como as mulheres são ensinadas a obedecer. Tudo começa com uma revista, um vídeo pornográfico e isso claramente afeta as relações. A indústria pornográfica faz com que os homens sintam que estão perdendo alguma coisa pelo fato de não fazer o que assistem. Tudo isso é fruto de uma cultura doentia. Uma traição acontece por falta de respeito, mas, para quem trai, sexo não tem a ver com amor. Tem a ver com poder. Quando uma pessoa trai, seu ego se engrandece, por isso, há quem não consiga parar. Há quem queira sempre estar no topo humilhando o mais frágil. Uma mulher é transformada num objeto e ela deve assumir um papel de submissão. O homem se sente no controle e isso gera excitação.

Se uma mulher diz que ama transar, ela se torna vítima até de humilhações. Até parece que não pode falar do que gosta. Ela é diferente, mas, quando uma mulher trai ela perde seu valor. Que valor tem a mulher que trai?

Homens e mulheres mentem e traem e o problema não está no prazer. Está no caráter. Traição é fruto de uma decisão. Tem a ver com má educação. Trair é autosabotagem. É ser infiel consigo mesmo. Então, as pessoas desistem do amor e começam a fazer o famoso papel de trouxa. Machucam e são machucadas. Um ciclo doloroso que pode se tornar vicioso por ser tão comum. Há quem reprima os sentimentos para evitar futuros sofrimentos, mas, isso não é saudável.

Portanto, faça as pazes com você mesmo antes de se relacionar com alguém. Se não estiver pronto, não se jogue de cabeça. Não vai dar certo. Prepare-se aproveitando a solidão para tratar possíveis traumas e desequilíbrios que existem porque se você se envolver com alguém terá de contar tudo sobre sua vida ou vai tentar esconder. Quando se esconde algo do parceiro a insegurança e a vergonha se instalam e o desconforto é claramente visível. Então, a intimidade se torna uma ameaça e ninguém com poder quer ter sua imperfeição exposta.

Quem trai, inconscientemente mostra sua fragilidade, então, não dê motivos para alguém te deixar. O amor nasce dos pequenos detalhes e morre pela falta de observação deles.

Apoiadores:
COMPARTILHAR
Artigo anteriorLadrões armados com facas assaltam Farmácia no Centro de Santa Rosa
Próximo artigoCasal é preso em flagrante por tráfico de drogas e associação ao tráfico em Cruz Alta
Daniela Machado da Luz
Me chamo Daniela Machado da Luz e é com muita alegria que faço essa parceria com o Portal Plural. Vos digo, que aos 15 anos de idade, eu achava ser alguém que sabia algo. Aos 18, vi que não sabia muito, só conseguia ver que minha existência se igualava ao tamanho de uma pequena pedra no meio da poeira. Aos 19, morei perto da praia e acreditem, transformei-me em grão de areia. Então, agora com 21, há quem me pergunte “Você realmente existe?”. Não estou me tornando em nada porque do nada não vim. O nada não existe. Apenas tento viver consciente de que eu e o Universo inteiro somos Um. Desde cedo fui uma leitora voraz e logo fui atraída pelo estudo da ciência e espiritualidade. Lia absolutamente de tudo e foi aí que notei que estava adquirindo uma bagagem intelectual muito grande. Então tomei a decisão de compartilhar (este pouco que sei) com as demais pessoas porque se hoje eu sei algo foi porque alguém compartilhou comigo. No entanto, compartilhar conteúdos e momentos despertaram em mim influenciada por Sócrates, a ideia de que quanto mais eu estudo menos eu sei. Ao longo de alguns anos estudei Administração de empresas, desenvolvi meu talento com a fotografia, me tornei vegetariana pelos animais e hoje curso Psicologia. Meu objetivo através dos textos é promover uma revolução e pasmem, ela já está acontecendo! Há uma revolução silenciosa aparentemente, mas, é porque ela é interior e quero que através de meus textos você procure concentrar sua atenção não para a autora, mas, sim, para si mesmo. Eu sou um ser humano como todos os outros. E você é a pessoa mais importante para você mesmo, por isso, invista em sua saúde mental e espiritual. Valorize a vida que possui olhando através dos olhos da alma e ame! O amor quando é verdadeiro não possui identidade. Ele age onde não há bloqueio. Que entre mim e você, não haja identidade. Apenas Amor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui