Anteprojeto para construção de ponte com a Argentina em Porto Xavier é entregue à superintendência do Dnit

Associação do Municípios das Missões (AMM) corre contra o tempo para não perder R$ 81 milhões destinados pela bancada gaúcha no Orçamento de 2018 à obra

0
113
Oito Arquitetura e Sustentabilidade / divulgação

 _ Todas as etapas são importantes, mas esta é muito mais importante _ disse o prefeito de Porto Xavier, Vilmar Kaiser (PP), ao entregar à superintendência do DNIT, em Porto Alegre, o anteprojeto para a construção de uma nova ponte internacional com a Argentina, na manhã desta sexta-feira (10). A relevância do momento foi exatamente o cumprimento desteprimeiro prazo, algo que precisará ser mantido à risca para garantir a viabilidade da obra.

No final de 2017, a prefeitura de Porto Xavier, em parceria com a Associação do Municípios das Missões (AMM), conseguiu que a bancada gaúcha no Congresso destinasse metade do seu orçamento de 2018 (R$ 81 milhões dos R$ 162,49 milhões) para a construção da ponte entre Porto Xavier, no noroeste do RS, e San Javier, na Argentina. Só que, na ocasião, o grupo não tinha nem um projeto para apresentar.

_ Precisamos que a empresa vencedora da licitação seja contratada até dezembro para garantir a verba. Quando a região missioneira se uniu, foi à Brasília e conseguiu recursos, a gente não tinha nem o projeto da ponte, como foi mencionado pela mídia. Agora,  a gente depende da agilidade e disposição para fazer as coisas. O mais importante foi ter concluído o anteprojeto em tempo – disse o presidente da AMM e prefeito de Rolador, Paulo Peixoto (MBD).

De acordo por Peixoto, esta primeira etapa foi concluída 10 dias antes do previsto, mas isso não chega a dar um respiro no apertado calendário. A partir de agora, a associação espera que o Dnit avalie e aprove o projeto em 30 dias, lance a licitação para fazer o projeto executivo e eleja a empresa vencedora até meados de dezembro.

Oito Arquitetura e Sustentabilidade / divulgação
Oito Arquitetura e Sustentabilidade / divulgação

_ Até o final do ano, teremos a contratação da obra, que será executada por meio de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), e assim conseguiremos manter a verba. Estamos dentro do cronograma. Não contamos com a hipótese de interferências no caminho. O projeto foi muito bem feito e temos a certeza que será aprovado pelo Dnit _ disse Peixoto.

Por ser uma obra internacional, o projeto tem, ainda, que passar por aprovação de um comitê argentino, algo que deverá ser feito também ao longo do próximo mês. Peixoto deve viajar para o país vizinho com uma comitiva na próxima semana para levar pessoalmente o estudo. A possibilidade de o projeto não ser aprovado por lá, o que atrasaria todo o processo, também não é um cenário cogitado pela associação.

_ É uma questão técnica, e é lógico que eles terão que examinar. Mas não teremos nenhum problema quanto a isso. É apenas uma questão de consideração mostrar o projeto antes de eles aprovarem _ afirmou Kaiser.

Ainda segundo o prefeito de Porto Xavier, caso o processo licitatório termine neste ano, a previsão é que as obras comecem nos primeiros meses de 2019 e sejam concluídas em até 36 meses. Quando finalizada, a ponte deve representar uma importante ajuda para alavancar a economia local, principalmente por facilitar a travessia de cargas e pessoas, criando um corredor de exportação e importação no Mercosul.

_ Atualmente, no porto de Porto Xavier, em travessia com balsa, temos movimento de exportação e importação de 12 mil cargas por ano. Com a ponte, isso vai triplicar nos primeiros anos e futuramente quintuplicar _  estimou Kaiser.

O PERFIL DA OBRA

Oito Arquitetura e Sustentabilidade / divulgação
Oito Arquitetura e Sustentabilidade / divulgação

Onde: entre Porto Xavier, no norte gaúcha, e San Javier, na Argentina.
Tamanho: em torno de 930 metros
Valor estimado pelo anteprojeto: R$ 130 milhões já com aduana e estrutura de fronteira
Tempo de construção: 36 meses (prevista para ser inaugurada no final de 2021)
Concepção: a prefeitura de Porto Xavier planejou uma “ponte-monumento” para tornar a obra uma atração turística e parte do Circuito das Missões Jesuíticas Guaranis.
Estrutura: no projeto, a ponte seria estaiada, com a imagem-símbolo das reduções jesuíticas nas cabeceiras, os pilares exibiriam a cruz missioneira e esculturas em homenagem a heróis como Sepé Tiarajú, o cacique Ignácio Abiaru e padres missionários jesuítas.

Fonte Zero Hora 

Apoiadores:
COMPARTILHAR
Artigo anteriorEm comemoração ao aniversário do Município, Escolinha do Santa Rosa inaugurou seu novo uniforme
Próximo artigoAbordado com droga diz que comprou no Parcão
Repórter do Portal
O Repórter do Portal, é responsável pela atualização e gerenciamento do site (www.portalplural.com.br), também é quem mantem contato com os denunciantes e internautas, busca informações de relevância para serem postadas. O Repórter do Portal não tem partido assim postando acontecimentos bons e ruins e conteúdo que agregue valor para todos. O repórter sempre busca solucionar problemas que acontecem, e mostrar nossas belezas, nosso povo, e quanto é bom morar em Santa Rosa e região!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui